Notícias

13 de fevereiro de 2019

Sindsaúde é contra as novas modificações nos PCCS de Parnamirim




Nova proposta retrocede o texto anterior, reduzindo os valores da tabela inicial, retirando a progressão automática e excluindo as categorias elementares

A comissão responsável por discutir e viabilizar o novo Plano de Cargos, Carreiras e Salários, (PCCS) dos servidores da saúde de Parnamirim, se reuniu no último dia 7 de fevereiro para tratar sobre as novas modificações que o plano deve sofrer antes do seu envio para votação na Câmara Municipal de Parnamirim. De acordo com os informes apresentados na reunião, o novo PCCS que a comissão quer aprovar retrocede o texto anterior, reduzindo os valores da tabela inicial, retirando a progressão automática e excluindo as categorias elementares.

Uma das propostas apresentadas pelos gestores da comissão diminui o valor pago referente às 40 horas trabalhadas.Por exemplo, para os servidores da saúde com nível superior (exceto os médicos) existe Lei Municipal que prevê trabalhar 30 horas semanais e receber igual as 40 horas. Estes terão uma redução de pelo menos 350 reais na sua folha salarial.  No caso das categorias de nível elementar, como no caso dos motoristas, maqueiros e ASGs, a gestão alegou que esses profissionais não são exclusivos da saúde, e que até 2021 pretende elaborar um plano próprio para essa categoria. Com relação à progressão automática, os gestores são contra a obrigatoriedade da medida, mas a proposta ainda está em fase de discussão.

Dos cinco sindicatos que compõem a comissão, apenas o Sindsaúde se manifestou contrário ao novo documento. Uma nova assembleia para discutir o assunto foi marcada para a próxima quinta-feira (14), às 15h, na Maternidade Divino Amor, em Parnamirim.


 

Autor: Comunicação Sindsaúde

Boletim Eletrônico

  • Digite o código: 4390

  •