Notícias

30 de julho de 2018

Sesap é obrigada a ampliar prazo de homologação dos aprovados no concurso da saúde por falta profissionais na junta médica




Profissionais estão com dificuldade de agendar uma consulta por falta de médicos e quando conseguem agendar, a data ultrapassa o prazo da homologação

Na manhã desta segunda-feira (30), o Sindsaúde foi até a Secretaria de Saúde do Estado (SESAP) buscar informações sobre o concurso público da saúde do RN realizado em março desse ano. Obtivemos a informação de que o prazo para se apresentar é até o dia 4 de agosto, no entanto, muitas pessoas estão tendo dificuldade de fazer o agendamento na junta médica por falta de médicos, e quando consegue agendar a data da consulta (apenas por telefone) ultrapassa o prazo da homologação. Diante dessa dificuldade, os aprovados estão se dirigindo à Sesap e solicitando um reaprazamento, ou seja, solicitando um novo prazo para a apresentação dos aprovados.   

Achamos lamentável a forma em que a saúde do Estado vem sendo tratada. O concurso público é uma luta antiga do Sindsaúde, é uma pauta que fez parte das reivindicações e das greves da categoria. Acreditamos que a responsabilidade do processo ainda não ter sido concluído é do governo Robinson que negligencia a saúde pública e não dá a devida prioridade.

Mesmo com a vitória da realização do concurso, apontamos a necessidade de ampliar as vagas, pois 404 vagas para a saúde não supre as necessidades e o déficit de profissionais. Em 2014, o Tribunal de Contas do Estado divulgou um relatório da auditoria sobre a situação dos hospitais do RN, com um déficit de quase 2 mil profissionais. Já se passaram quatro anos e o déficit só aumenta, pois muitos servidores se aposentaram, sobrecarregando ainda mais os servidores nos locais de trabalho.

Servidores do contrato temporário estão trabalhando sem receber salário

Como se não bastasse o atraso dos salários dos servidores efetivos e o não pagamento do 13º, o governo Robinson está sendo ainda mais cruel com os servidores de contrato temporários. Os servidores começaram a trabalhar em abril e até o momento não receberam sequer os salários. Segundo a Sesap, os processos se encontravam na Controladoria do Estado, mas a mesma solicitou um parecer jurídico da assessoria argumentando que o processo seletivo foi anterior ao concurso público.

“Vai entrar para o quarto mês que os servidores do contrato temporário estão sem receber. É inadmissível o que a Controladoria e o governo do estado estão fazendo com esses profissionais. Para se ter uma ideia da gravidade, no Walfredo Gurgel, os próprios servidores estão fazendo vaquinha para pagar a passagem de ônibus desses profissionais”, disse Rosália Fernandes do Sindsúde-RN.

 

Autor: Comunicação Sindsaúde

Boletim Eletrônico

  • Digite o código: 8711

  •