Notícias

27 de maro de 2018

Servidora denuncia prática de assédio moral na USF Parque dos Coqueiros




Profissional relata que sofreu constrangimento e perseguição na unidade

O Sindsaúde-RN recebeu, em março deste ano, mais uma denúncia de assédio moral. Desta vez, ocorrido dentro da Unidade da Saúde da Família Parque dos Coqueiros, a queixa foi registrada por uma profissional da unidade.

São relatos de autoritarismo e perseguição psicológica por parte da direção da USF. Conduta que causou constrangimento e adoecimento da profissional, culminando na transferência da servidora. Ainda de acordo com a ex-servidora da USF Parque dos Coqueiros, o comportamento abusivo por parte da direção não é algo isolado.

“Adoeci e por causa disso fui acusada de não gostar de trabalhar pelo diretor. Sofri constrangimentos públicos, na frente de pacientes e outros funcionários. Fui mal acolhida por algumas pessoas da equipe de enfermagem da unidade, isso me entristeceu e afetou diretamente meu trabalho”, denunciou uma servidora da saúde, vítima de assédio moral.

“Por várias ocasiões solicitei a enfermeira que alguém ficasse comigo para ajudar no atendimento, já que é comum a distribuição de duas profissionais por setor, ela negou alegando que eu deveria ficar sozinha para sentir na pele o que elas passavam quando eu supostamente faltava. Sendo que na realidade eu não tenho faltas, mas sim ausências por atividade sindical”, completou.

Foram quase dois anos trabalhando sob assédio moral até a transferência da unidade. “Sempre havia um mal-estar na unidade devido aos questionamentos. Minha atividade sindical foi por muitas vezes desconsiderada e isso me deixava muito mal e afetava também a minha vida pessoal”, denuncia a servidora da saúde.

A servidora relembra ainda que “brincadeiras”, que geravam constrangimentos, eram freqüentes na unidade.

O ocorrido na USF Parque dos Coqueiros não é um caso isolado, o assédio moral é uma prática frequente nas unidades de saúde do município de Natal.  O Sindsaúde-RN repudia a ação dos assediadores e está agindo no suporte e na tentativa de conscientizar os trabalhadores e trabalhadoras para evitar mais práticas como essa.  Qualquer servidor(a) que se sentir assediado deve procurar o Sindsaúde-RN ou agendar uma conversa com a assessoria jurídica do sindicato.


Assédio moral é crime! Não se cale, denuncie!


 

Autor: Comunicação Sindsaúde

Boletim Eletrônico

  • Digite o código: 4209

  •